Taxista é assaltado por casal de supostos clientes e tem que pedir para não ser morto

Há suspeitas na categoria que o mesmo casal já teria cometido o mesmo tipo de crime

Taxista é assaltado por casal de supostos clientes e tem que pedir para não ser morto

Um taxista de Fortaleza viveu momentos de terror ao ser assaltado por um casal que fingiu ser passageiro, em Fortaleza. A dupla armada anunciou o assalto no fim da corrida e levou a vítima para o meio de uma favela.
O caso aconteceu por volta das 20h30 da noite da última terça-feira (29), na Av. Historiador Raimundo Girão. De acordo com a vítima, o rapaz tinha aparência de cerca de 22 anos de idade, enquanto a moça aparentava 18.
Eles acertaram preço, iniciaram a corrida na Praia de Iracema, e já próximo ao local combinado, na Av. Washington Soares, anunciaram o assalto. “Botaram o revólver na minha costela e na minha cabeça, mandando eu seguir ele pra dentro da favela”, relatou.
O taxista descreveu os momentos de tensão vividos. “Chegando na favela, esquisito, não tinha nada, tudo escuro, me abordaram e a bandida mandando me matar. Eu pedi ‘não me mate não, minha esposa está grávida, não faça isso não, leve tudo’. Foi quando ele disse ‘só quero seus pertences, seu dinheiro, seu cordão, sua pulseira e seu relógio. Aí levou tudo que eu tinha”.

 

 

 

Há suspeitas na categoria que o mesmo casal já teria cometido o mesmo tipo de crime. “Um taxista relatou que esse mesmo casal tinha feito uma vítima no dia anterior. Nas mesmas circunstâncias, mesmas coisas”, relatou.
O diretor do Sinditaxi, Francisco Moura, pede um plano de segurança mais específico para os profissionais da categoria. Segundo ele, a tecnologia poderia ajudá-los a ter uma resposta mais rápida da Polícia. “É necessário que se sente, se faça um plano e tenha vontade de resolver o problema. Porque é impossível continuar da maneira que está”.
Ele afirma que a violência faz parte do cotidiano dos taxistas, principalmente no turno da noite.